quinta-feira

Inside the inside visions of Inside Visions' singer/songwriter's poetry


Walking down the avenue 
Found the time for a kill... 
sobre a letra da minha canção preferida dos Inside Visions:

"Time For A Kill" é uma música de 3 actos. Como no Teatro clássico há uma viagem do protagonista (neste caso da protagonista) que começa por ser de uma aparição súbita do Inferno na Terra para terminar sendo essa própria protagonista o pior Inferno tanto nesta Terra como de outra.
Numa primeira parte temos um homem solitário, aparentemente normal que assim que a noite se vai pondo a sua personalidade vai mudando para algo cada vez mais vil e animalesco qual lobisomem. Enceta então uma busca desenfreada por uma mulher que o satisfaça neste acesso animal e vai encontrar como poiso de toda essa violência uma teenager de 16 anos que apenas há pouco tempo se iniciou no trabalho "de rua".
O desejo que ele trazia do seu dia-a-dia pálido transforma-se rapidamente num comportamento de serial killer ao cortar e "marcar" a rapariga para o resto dos dias.
Uns dias mais tarde a rapariga já cresceu com a experiência e a sua outrora inocência perdeu-se para um desejo de vingança que carrega em todos os "encontros" que vai tendo...até reencontrar o homem que a "marcou". Aí os papéis invertem-se subitamente e o predador é engolido pela presa.
De arma em punho, acaba com a vida do agente que acabaria por definir para sempre a idiossincrasia da menina que, presa aos seus eternos 16, vai precisando de refrear todo o ódio que a transformou numa precoce "femme fatale" na verdadeira acepção da palavra: Matando animal por animal.


A música surgiu num acesso do subconsciente à pouca consciencialização que tenho ao escrever seja o que for. Sempre me interessou o facto de não termos controlo sobre aquilo que fazemos, já que isso confere ao indivíduo uma identidade própria e irrepetível. Esta letra não fugiu à regra. Ao começar a pensar na possível abordagem escrita de uma música, acontece algo que é realmente do domínio do inconsciente: um puzzle sem fim, sem significado aparente, de imagens encadeadas desfila mesmo por detrás dos meus olhos e "só" preciso de encontrar o caminho certo para fazer daquilo algo um pouco mais perceptível."


It screams Taxi Driver,


And it goest like thiz:

Walking down the avenue 
Found the time for a kill. 
Pretty girls to name a few… 
Leather skirts, bitten lips. 

Found them standing all alone 
Heard them whisper on the phone… 
To begin… 
A kill to begin… 

Pulling over outside 
A motel sweating sex and crimes. 
Strip you off, push you down: 
Silent youngster kneeling down. 
The tears he cried she fears now. 

Panic pictured in the room 
As a knife wields a singing croon 
For the blood… 
Love shown only for blood… 

Tears dried her night out, 
Vengeance dressed in and out. 
Someday soon you’ll reach sixteen – 
Novelty as she will ever be: 
Hand in gun, revenge toll. 

When he arrives flashing his pride 
She’ll be taking out his life 
To begin… 
A kill to begin… 

Hate is on the loose. 
Waited seven moons. 
My hate is on the loose. 
Way to start the killing soon. 

If you’re coming home tonight 
I will have you shot on sight 
For the love… 
Blood shown only for love…

2 comentários:

Ari* disse...

aiii, derreti agora com essa imagem dele! aiii, morri, morri! :o

Giuliano Quase disse...

no rio, o lobisomem aparece pra roubar a marmita do trabalhador, pois como diz o ditado, deus abençoa quem cedo madruga.