terça-feira

O desassossego segundo Tchékhov

"Tais pensamentos novos assustavam Nikítin, e rejeitava-os, acusava-os de idiotas e queria acreditar que era tudo por causa dos nervos, que amanhã se riria de si próprio...
  Era verdade, de manhã já brincava com o seu nervosismo da véspera e chamava-se a si próprio de fêmea; mas já ficara claro para ele que tinha perdido o sossego, talvez para sempre, e que naquela casa de dois pisos não estucada já lhe era impossível ser feliz. Pressentia que a ilusão se tinha esgotado e começava agora uma vida nova, nervosa, consciente, que não se coadunava com o sossego e a felicidade pessoal."

Edward Hopper - Room in New York

7 comentários:

via disse...

Tchécov, sempre. excelente.

Windtalker disse...

Esse quadro do Hopper (Room in New York) é fantástico...
Um reconfortante e avassalador retrato do tédio...
Curiosamente não o vejo a coadunar-se a esse texto do Tchékov...

Regiani Moraes disse...

Que bela e inspiraora pintura de Hopper.

A* disse...

Segui*

Beatrix Kiddo disse...

welcome A* :)

de facto fiz este post com bastante sono e sem nenhuma imagem em mente para ele (sabia que queria usar Hopper), e nem pesquisei o nome do quadro tal era o sono. Não foi um casamento perfeito não (imagem + texto), para combinar com o contexto do conto de de onde tirei o texto eheh

obrigada pela info do nome do quadro Windtalker, vou completar

Mónica disse...

pois, ao contrário do Windtalker, eu acho q a imagem e o texto são um para o outro, nada de desculpas Beatrix :DDD

Beatrix Kiddo disse...

queria um homem mais desassossegado :p