terça-feira

Não é capaz de ver para além do verme

"O senhor não poderia ser artista, em primeiro lugar porque lhe falta fé. Não poderia ter ideias belas, porque as mata antecipadamente. Nega o que é necessário para fazer beleza, e que é amor, amor à própria vida, amor à vida por ela própria. Vê a imperfeição, o verme, em tudo. Um artista, mesmo quando detecta uma imperfeição, transforma-a em algo perfeito, se assim me posso exprimir. Não tenta fingir que um verme é uma flor ou um anjo, mas incorpora o verme em qualquer coisa maior. Sabe que o mundo não está cheio de vermes, mesmo quando vê um milhão ou mil milhões deles. Você, porém, vê um vermezinho e diz: «Olhem, vejam como está tudo podre!» Não é capaz de ver para além do verme...Desculpe, não queria apresentar as coisas de modo tão cáustico, nem tão pessoal. Mas espero que tenha compreendido aonde quero chegar..."


4 comentários:

André C. disse...

o mal da generalização e do pessimismo excessivo.

Jamil S.P. disse...

Me fez lembrar desta canção dos Secos & Molhados http://www.youtube.com/watch?v=uxOX8kh70DA
A letra é do poeta português João Apolinário e seu filho, que integrou o célebre conjunto.
E já que estou a falar deles, eis uma das minhas preferidas http://www.youtube.com/watch?v=7nEf7qDskUc
Os únicos 2 discos deles (1973/4) são excelentes, recomendo muito, se ainda não os conhece.

Beatrix Kiddo disse...

eheh secos & molhados é um nome giro

não conhecia

Mónica disse...

grande imagem