sábado

As pessoas da sociedade 2

"— Lamento este contratempo — disse-me o senhor de Charlus. — Argencourt, bem-nascido mas mal-educado, diplomata mais que medíocre, marido detestável e mulherengo, velhaco como um personagem de uma peça, é um daqueles homens incapazes de compreender mas muito capazes de destruir coisas verdadeiramente grandes. Espero que a nossa amizade o venha a ser, se um dia vier a criar-se, e que o senhor me dê a honra de a manter tanto como eu ao abrigo dos coices de um desses burros que, por desocupação, falta de jeito ou maldade, esmagam o que parecia feito para durar. Infelizmente é por esse molde que, na sua maioria, são feitas as pessoas da sociedade."




1 comentário:

Frederico disse...

O requinte desse deixa-me varado.