domingo

Smoking, drinking, never thinking

    "Martha deu-me uma asa de galinha. Mergulhei-a no saleiro e comi-a. Era deliciosa.
    «A tua mamã ausentou-se por uns dias», disse-me ela e voltei a sentir o nó na garganta. A comiseração fazia-me mal. Não quer dizer que Martha fosse maternal. Era demasiado bonita e fria para isso.
    Martha era aquilo a que os aldeões chamavam devassa. Ia quase todas as noites ao Hotel dos Galgos, vestida com um saia-e-casaco preto, justo, sem nada por baixo do casaco a não ser o soutien e um lenço de chiffon atado ao pescoço. Estrangeiros e caixeiros-viajantes admiravam-na. Rosto pálido, unhas pintadas, cabelo negro-azulado apanhado ao alto, cara de madonna, empoleirada num banco alto do bar do Hotel dos Galgos, eles achavam-na triste. Mas Martha jamais estava triste, a não ser que o tédio seja uma forma de tristeza. Ela queria duas coisas da vida e tinha-as — bebida e admiração."


Música: Look at yourself

1 comentário:

andré disse...

Excerto óptimo.
Fotografia idem. vou roubá-la.