quinta-feira

"Mas, afinal, o que se leva da vida, senão remorsos? Remorsos do que podia ter sido e não foi e do que se perdeu depois de ter sido. Remorsos do que devia ter sido dito e feito e não foi a tempo ou do que foi demasiado dito e feito. Remorsos destes eternos desencontros, desta sensação de que nada existe no seu tempo certo, de chegar sempre tarde ou partir cedo demais. Porque será que a seguir à noite vem sempre a manhã e de manhã pesa sempre nos olhos e na alma o que se fez e desfez de noite."


5 comentários:

Cuca disse...

Eu até não gosto especialmente do livro. Mas essa passagem...parece que foi feita de encomenda.

Beatrix Kiddo disse...

leitores em sintonia :) tb não gosto especialmente do livro

A passagem já é outra coisa. Há pessoas que nunca vão escrever um bom livro no todo mas pelo menos resta-lhes a glória das passagens

josépacheco disse...

eu não li o livro, mas duvido que gostasse do livro porque não consigo achar graça a nada do que faz ou escreve o tavares. e gostei da passagem, mas vou relê-la, depois dos vossos comentários

Tolan disse...

Eu cá não gosto da passagem sequer, é um livro de gaja :P

Beatrix Kiddo disse...

de manhã pesa sempre nos olhos e na alma o que se fez e desfez de noite...verdade, mas também, de manhã é tudo pesado, especialmente nos olhos