sábado

Torna tudo mais pequeno

"Quando comparamos a nossa ridícula existência com as existências literárias que fomos acumulando na estante, tudo se torna incomparavelmente mais insignificante. Mais triste. Mais inútil. Porque a grande literatura não nos torna maiores. Torna-nos menores. E torna tudo mais pequeno. Podemos amar a donzela da praxe com devoção e zelo. Vocês conhecem: a Teresa, bonitinha, com apartamento em Telheiras e um Cinquecentto em segunda mão. Mas, honestamente, algum dia amaremos alguém como Dante amou Beatrice? Como o Quixote amou Dulcineia? Como Bendrix amou Sarah sob um céu carregado de demência e morte? Nada na vida é como nos livros. Não chove como na Londres de Larkin. A comida não sabe tão bem como nos romances de Hemingway. Os melhores martinis que tomei foram na prosa de Fitzgerald. Nos meses de verão, Veneza fede - mas nunca na literatura de Mann, Calvino ou Brodsky."







5 comentários:

pea disse...

Oh, wow, super beautiful and interesting photo!

Mara disse...

I've just seen your comment on my blog from a few days ago. Thanks for passing by, your blog is really great, I love your entry on Patti Smith, that woman is amazing, I adore her, and on Apocalypse Now ;)

kisses!

Beatrix Kiddo disse...

thank you both. I'm glad you liked it. Come back :)

Morcegos no Sótão disse...

Hum...

Parece que tenho de viver e comer e beber e amar e tornar isso tudo maior escrevendo sobre o assunto. :)

MJNuts

Anónimo disse...

isso tudo não podia ser mais verdade. e triste. e desolador. e bonito.