sábado

Não mates a recordação que lembra a felicidade

Nunca mais voltes à casa
Onde ardeste de paixão
Só encontrarás erva rasa
Por entre as lajes do chão
(...)
Por grande a tentação
Que te crie a saudade
Não mates a recordação
Que lembra a felicidade


Foto - Jostein Walengen

6 comentários:

Sofia Martins. disse...

Ainda bem que concordas comigo (:
Qualquer dia, leio Whitman.

Jack disse...

Não conhecia esta do Carlos tê. Gostei.

Agradeço também que este tipo de post não se repita. Agora como é que eu me vejo livre da melancolia? Pois é. Atenção a isso.

Beatrix Kiddo disse...

qualquer dia, perco a cabeça e também eu leio Whitman (mais que um poema de longe a longe) :)

este tipo de post é o objectivo principal do blog, que as pessoas leiam e fiquem de tal forma que têm de passar a tarde na cama a pensar na vida :p **

{anita} disse...

ai. este post, hoje, tocou-me...

Beatrix Kiddo disse...

é uma música/letra muito eficaz a tocar pessoas. Ainda bem que fui ao concerto d Rui Veloso e que vi esta e outras maravilhas ao vivo.**

Jorge disse...

Este blog no se como llegué hasta el, pero me encantó! Mucha poesia visual también, felicitaciones mujer de Porto! Salud desde Montevideo.