segunda-feira

Haters gonna hate

"O Miguel hoje parece mais cauteloso e menos cruel a avaliar os escritores de que não gosta do que era há 20 anos atrás?

Menos cruel?! Eu acho é que já é insuportável...Quando se é muito novo, a ignorância leva-nos a fazer listas: amo e odeio. Quando era muito novo eu disse: «Detesto música brasileira». Não conhecia a música brasileira. Odeio música country. Não conhecia. Para facilitar, numa situação de ignorância, o que é que se pode fazer? Dizer «não conheço», «não faço ideia»? Não. Ou sobre as mulheres: «Gosto de mulheres não sei quê». Só conheces duas. Mas tens de dizer «odeio francesas» ou «odeio comida italiana», vamos supor, para poderes construir uma personalidade. À medida que se vai lendo e vivendo, essa defesa deixa de ser necessária. Portanto, isso que parece ser crueldade, quando se é jovem, é antes uma forma de ignorância."


5 comentários:

Jamil S.P. disse...

Que texto interessante, Beatriz. Nunca havia refletido sobre o comportamento do jovem a partir dessa perspectiva. Gostei bastante.

mafalda p. disse...

muito muito obrigada :D

Morcegos no Sótão disse...

Ando para ler Miguel Esteves Cardoso... Vale a pena?

MJNuts

Beatrix Kiddo disse...

Eu adoro o MEC
Li uns livros de crónicas dele, entrevistas etc, acho-o um génio (e foi grande bêbedo :)

Denise Scaramai disse...

é...
e quando já não se é mais um jovem, nos permitimos dizer 'odeio', agora
com pose de sabedoria!